Aprendizagem ao Longo da Vida

Aprendizagem ao Longo da Vida : Lifelong Learning

Um dos pontos discutidos nos dias atuais é o que chamamos de aprendizagem ao longo da vida ou lifelong learning, que assume uma importância muito grande na vida das pessoas do mundo todo, portanto em toda sociedade da informação e do conhecimento que co-existimos.Estamos na era do  lifelong learningo, da educação continuada ou aprendizagem continuada, na qual acessamos as oportunidades formais e informais de aprendizagem ao longo de nossas vidas.

Aprender desta maneira abarca todo o ciclo de vida do ser humano, para que assim se busque cada vez mais o aperfeiçoamento e de maneira permanente. Não há dúvidas que a aprendizagem ao longo da vida, seja uma importante ferramenta de participação dos cidadãos na promoção do desenvolvimento sustentável de todo o planeta.

Quando pensamos necessariamente em aprendizagem formal que também está dentro do paradigma da aprendizagem ao longo da vida, lembramos que o ensino superior em nosso país tornou-se bastante acessível e assim se massificou e deselitizou. Em paralelo a isto, ocorreu e ocorre um ritmo acelerado de inovação e de mudanças no mundo todo e principalmente no mercado de trabalho, o que contribui para que a aquisição de um diploma de uma universidade não seja mais o único passaporte para a construção de uma carreira sólida e longa no mercado de trabalho mundial. Hoje, fazer e concluir um curso universitário é apenas um rito de passagem para todos.

Por conta desta realidade que determina que a formação em uma universidade não mais garante e oportuniza o ingresso ao mundo do trabalho e nem mesmo a permanência nele, estamos vendo também e cada vez mais uma forte competição entre as instituições de ensino por alunos. Este fato tem gerado por parte das instituições um grande esforço não só nas campanhas de marketing e nas promoções, mas principalmente na solicitude em atender toda e qualquer demanda por parte dos alunos como também de seus futuros empregadores.

Certamente o desafio das universidades em um futuro muito próximo será desenvolver a aprendizagem de seus alunos naquilo que os empregadores e portanto o mercado de trabalho solicita. Os cursos tecnólogos presenciais ou à distância já atendem esta demanda e trabalham com novos currículos. Sabemos que os ambientes acadêmicos são tradicionalmente conservadores, e que muitos ainda se pautam em severos sistemas tradicionais de ensino, estimulando o professor a também ser conservador em suas atitudes acadêmicas e assim ser o detentor de única fonte de conhecimento, o que muito estimula e conserva a postura docente de comodismo em apenas repassar informações e conhecimentos.

O ensino superior está em processo de crise que o levará a uma reciclagem também, pois muita coisa aconteceu no mundo e está acontecendo nos meios educacionais por conta da evolução das tecnologias, da geração de nativos digitais que chegou às escolas e que já entendeu que é necessário investir na aprendizagem ao longo da vida. Os próprios gestores educacionais, muitos ainda conservadores, também se encontram em crise diante de seus docentes tradicionalistas e os seus alunos inovadores e digitais.

Por outro lado,sabemos que métodos ortodoxos são pouco adequados para preparar as pessoas ao mundo do trabalho do século 21 e a viver no mundo complexo de hoje. A nossa economia tornou-se absolutamente pautada no conhecimento e não dá para saber tudo ao mesmo tempo, pois o conhecimento disponibilizado no mundo virtual é infindável. Daí a necessidade de buscarmos a aprendizagem contínua ao longo da vida, tanto formal quanto informal. Desta forma a boa escola presencial não negligencia as atividades virtuais e a visão de uma nova aprendizagem pautada pela colaboração e construção do conhecimento, assim como um bom curso a distância sempre promove e estimula entre seus alunos o encontro presencial.

A questão  “lifelong learning” ou aprendizagem ao longo da vida abarca tanto os cursos presenciais quanto os à distância. Aprender ao longo da vida nos remete tanto aos cursos formais que ocorrem dentro das instituições de ensino quanto os informais, organizados e sistematizados no contexto externo da educação formal. É interessante notar que a Universidade do Sul da Flórida proporciona gratuitamente aos seus alunos de engenharia a possibilidade de voltarem à faculdade nos primeiros cinco anos de formados caso percebam que ainda precisam desenvolver competências que não foram necessariamente bem trabalhadas ao longo da formação formal na escola. Por outro lado, algumas faculdades europeias já solidificaram parcerias com jardins de infância para atrair futuros bons engenheiros para a suas escolas politécnicas em futuro remoto.

A grande questão hoje não é se pensar apenas como uma disciplina pode e deve ser “ensinada”, mas principalmente quais seriam os ambientes de aprendizagem mais adequados não apenas para desenvolver determinado conhecimento pontual, mas quais seriam as metodologias que desenvolveriam competências e habilidades para que o aluno ao longo de sua vida se apropriasse de conhecimentos em como pesquisar, validar, conhecer, pensar criticamente e chegar à veracidade de uma informação que poderá se tornar em um grande conhecimento para ele.

Aprender ao longo de uma vida é isto. É buscar se aperfeiçoar e aprofundar em seus conhecimentos para bancar as demandas da própria vida pessoal e profissional para continuar existindo no mundo. Nos dias de hoje tudo muda a cada dia e de maneira extremamente rápida. Temos que nos adaptar e readaptar à inúmeras transformações e sermos interessantes ao mundo do trabalho. Hoje resolvemos novos e complexos problemas, e portanto não há possibilidades de resolvermos coisas novas pautados em conhecimentos sucateados e de velhas maneiras.

                       Aprender ao longo da vida é uma necessidade de todos! 😆

Comentário em “Aprendizagem ao Longo da Vida

Comentários estão bloqueados.