Aprendizagem Colaborativa em Cursos EAD

Aprendizagem Colaborativa em Cursos EAD

Toda situação de aprendizagem envolve  quem aprende e aquilo que se aprende, gerando uma série de significados e (re)significados,  que são atribuídos pelo aprendiz. É claro que se leva sempre em consideração o contexto no qual ocorre o processo. Em ambientes virtuais de aprendizagem este cenário  se torna muito interessante principalmente quando atuamos em plataformas tecnológicas que possibilitam a aprendizagem colaborativa em cursos EAD.

 

Hoje quando atuamos com a aprendizagem colaborativa em cursos EAD,  estamos lidando com  uma aprendizagem muito transformadora, que também pode e deve ocorrer no ambiente presencial. Trabalhar com os alunos através do manejo colaborativo, gerando a percepção que  o todo é mais do que as partes;  estaremos desenvolvendo neles aspectos absolutamente “humanos” e  “solidários”, ou seja, possibilitamos o exercício subjetivo não só do aprender sobre algo, mas do  aprender com outras pessoas remetendo a uma prática do aprender a “dividir”, “compartilhar”, “ajudar”, e com isto ter o  gosto não somente de crescer,  mas também poder desenvolver e projetar  o “outro” ao crescimento.

 

Aprender colaborativamente é uma atividade que solicita que todos os envolvidos participem e sejam valorizados por aquilo que cada um oferece naquela construção do conhecimento. Este tipo de ação, melhora as relações humanas e aumenta em muito a autoestima das pessoas, pois todos se sentem fazendo parte de um “propósito maior”. Esta ação conquista o aluno e lhe confere grande motivação pelo aprendizado!

 

A presença neste cenário do professor orientador, também chamado de tutor, mentor, curador ou coordenador de projeto, possibilita o intercâmbio de ideias,  o desenvolvimento do pensamento crítico, o estímulo de cada aluno poder ser um professor naquele contexto. Para que isto ocorra de maneira eficaz o professor tutor deverá estimular a necessidade individual de cada um levantar questões, e assim abrir espaço democrático para respostas coletivas e de maneira sistêmica.

 

Entendo que estas trocas e questionamentos se transformam em diálogos enriquecedores,  pois remetem todos a novos pensares e entendimentos da realidade estudada e investigada. Este tipo de ação conjunta fortalece por demais o desenvolvimento da solidariedade em grupo e do respeito mútuo, pois os envolvidos lidam com divergências, convergências, pontos sociais nevrálgicos e pontos de forte interesse, objetivando a mesma coisa, ou seja, a aquisição do conhecimento.

 

Sim, a aprendizagem colaborativa em cursos EAD,   oferece  métodos e técnicas de aprendizagem como também estratégias de desenvolvimento de competências destinadas ao desenvolvimento  pessoal e interpessoal.  Certamente leva-se em conta que este processo educativo  sempre propicie  a  participação do grupo em ambientes (virtuais e/ou presenciais)  que colaborem com  a interação, a colaboração e a avaliação.  O objetivo maior é que todos do grupo cresçam. Sempre!! Independente do “quanto” cada um aprendeu.

 

Certamente atuar como professor a distância ou presencial,  apoiado pela metodologia da aprendizagem colaborativa é muito diferente do que já conhecemos por muitos séculos sobre as  práticas destinadas à aprendizagem tradicional, que sempre foram baseadas naquele  professor que é o único  detentor do conhecimento e que sempre orientou ao aluno à postura passiva de ouvinte.

 

É inquestionável nos dias de hoje, principalmente quando navegamos por tantas interessantes plataformas educacionais, que atuar como professor tutor em cursos a distância e ter na mão a possibilidade de desenvolver pessoas não mais apenas no sentido mnemônico, obrigando o aluno a memorizar tudo o que supostamente estiver aprendendo, é estar vivendo paradigmas de ponta da educação.

 

Sim, já aconteceu um tempo que oferecer um PDF ao aluno e atividades de múltiplas escolhas eram o top em EAD.  Eu iniciei a minha prática em 2000 como professora de educação a distância, atuando desta maneira, pois não haviam outras possibilidades de se trabalhar virtualmente com os nossos aprendizes. Isto faz parte do momento da WEB 1.0. Nos dias de hoje, não faz mais sentido atuarmos em EAD desta maneira, por conta da evolução absurda e do impacto das tecnologias educacionais e da própria WEB 2.0.

 

Desenvolver boas turmas online e que atuem dentro do paradigma da aprendizagem colaborativa também se distancia de uma proposta de educação a distância no modelo fabril e que atue com alta escala. Os MOOCs oportunizam uma experiência massiva e colaborativa,  mas já existem dados que apontam que um percentual altíssimo de alunos desiste destes cursos oferecidos dentro deste modelo. Parece que a abordagem massiva (centenas de milhares de alunos) e com os pares se colaborando ainda não encantou e nem conseguiu “prender” o interesse do aluno de qualquer parte do mundo.

 

Na verdade a grande conversa hoje em educação a distância é pensarmos em uma excelente  EAD que atue colaborativamente e que também ofereça momentos personalizados, dentro do modelo já conhecido dos cursos online fechados e para pequenas turmas, chamados de  SPOCs-  Small Private Online Courses. É rentável para as instituições de ensino? Penso que este modelo possa acontecer  em instituições que privilegiem uma aprendizagem real e que também valorizem este tipo de abordagem educacional, e que ao mesmo tempo gerem os seus  lucros.  Tudo é possível! Sim! É possível equalizar uma boa educação a distância aliada à modelos que realmente ofereçam um rico aprendizado.

 

Como pontuei,  já se pensa muito no aprendizado personalizado de cada aluno online, ou seja, como o tutor de um curso virtual  poderá observar através da tecnologia,  a maneira que cada qual aprende,  e com isto estabelecer condições propícias para a realidade de aprendizagem individual de cada um.

 

Não é o máximo? 😉 Antes de tudo isto ocorrer com eficácia e ser disseminado pelo mundo da Educação,  precisamos que os professores mudem de mentalidade! A educação está em crise de crescimento, está em evolução e todos os professores também terão que evoluir!!

Você concorda???  🙄

 

6 comentários em “Aprendizagem Colaborativa em Cursos EAD

  1. Lilian, excelente questão! No momento estou participando de um MOOC, promovido pela Universidade de Manchester, na àrea de Saùde Populacional e tenho a experiência como tutor com turmas de 15 a 50 alunos, também. Penso que cursos fechados para pequenas turmas oferecem a possibilidade de se aplicar alguns conceitos de Inteligência para aprimorar o serviço oferecido pelos tutores. Por exemplo, em turmas pequenas o tutor pode ter acesso a informação mais detalhada de cada estudante e adaptar a condução do curso, de acordo com objetivos iniciais do estudante e com a modificação que ocorre nestes objetivos ao longo do curso. Afinal, os objetivos, até certo ponto mudam, pois existem fatores que promovem este dinamismo. (Na verdade, penso que o fluxo da informação mudou – agora temos muita informação, de várias fontes e ela passou a ser atualizada muito mais rapidamente do há algum tempo).

    • Ilan!

      Seja bem-vindo! Muito bom o seu depoimento!
      Obrigada por compartilhar tantas boas experiências e ideias.

      Volte sempre!

      Abraços,

      Liliam Silva
      Blog Educação-a-Distância.com

  2. Lilian, concordo com você. Acredito que essa evolução ainda vai demorar um pouco. Vejo que ainda temos poucos profissionais especialistas em educação, que conseguiram adentrar no espaço do EAD. Vejo que alguns profissionais ainda estão com foco no lucro. Os poucos que estão preparados ou em preparação, focando na colaboração como meio de construir o conhecimento, precisam de muito apoio e discernimento para interpretar os sinais dados pelos alunos e buscar implementar aquilo que estiver faltando para tornar a aula algo realmente agregador.
    Trabalho com EAD há seis anos e vejo que nos cursos existem dois mundos, onde alguns dos alunos matriculam-se para cumprir determinada meta e não para aumentar o seu conhecimento e interação com as pessoas. Nesse ponto é muito importante um bom profissional que ajude o aluno a encontrar o melhor caminho.

  3. Olá Liliam! Gostei muito de saber sobre os SPOCs, pois já trabalho assim na educação presencial, e minha preocupação em relação aos cursos online é a massificação do aprendizado, o que vai contra minha visão de ensino/aprendizado.

    Um abraço!

    • Oi Gean,

      A sua preocupação é pertinente, é igual a minha!

      Abraços,

      Liliam Silva
      Educação-a-Distância.com

Comentários estão bloqueados.