As Melhores Habilidades de Trabalho Até 2020.

As Melhores Habilidades de Trabalho Até 2020.

No ano passado o Fórum Econômico Mundial divulgou um interessante Relatório sobre o Futuro do Emprego no planeta e trouxe para nós uma pontual análise a respeito das qualificações que serão necessárias e do tipo de força de trabalho que deveremos aguardar por parte dos trabalhadores até o ano de 2020. Acho importante nesta reflexão, não nos esquecermos que estamos atravessando a Quarta Revolução Industrial,  e que este movimento vem se expandindo no mundo a cada dia e já algum tempo, o que gera em nós o desafio de enfrentarmos a reciclagem profissional quase que diariamente dentro dos inúmeros papéis profissionais que atuamos,  e tudo isto vem ocorrendo por conta do desenvolvimento da robótica e da inteligência artificial no mundo inteiro, e mais especificamente no mundo do trabalho.

Hoje em dia não é incomum vermos diretores de recursos humanos de empresas importantes e globais,  se questionarem nos seminários públicos, sobre quais são as 10 melhores habilidades necessárias ao mundo do trabalho contemporâneo, justamente para que os trabalhadores prosperem pontualmente até o inicio da próxima década, ou seja, em 2020….A pergunta que não se aquieta é: Qual será o percurso até lá? No que teremos que nos melhorar para continuarmos sedutores ao mercado de trabalho?

Nas comparações abaixo que vocês irão ver, construídas através de pesquisas e apresentadas no Fórum Econômico Mundial, notamos algumas mudanças significativas entre as habilidades que eram necessárias no mundo do trabalho em 2015 e as que são almejadas e portanto necessárias para 2020:

CRÉDITO: Relatório sobre o futuro do emprego, Fórum Econômico Mundial

A Criatividade, por exemplo, vai se tornar uma habilidade ainda mais valiosa no mundo organizacional,  saltando da décima posição em 2015 para a terceira na lista de 2020. A resolução de problemas nas organizações solicitará cada vez mais a criatividade humana ( e não necessariamente a AI – inteligência artificial) para inovar e se fazer as coisas de maneira diferente. Quando inovamos, pensamos, criamos e fazemos as coisas de novas maneiras,  justamente para alcançar melhores resultados e apresentar soluções. Claro que as novas tecnologias forçarão cada vez mais as inúmeras novas formas de trabalho, onde os funcionários precisarão também se tornar muito mais criativos para acompanhar todas as mudanças tecnológicas radicais.

Dois interessantes ítens e recém-chegados na lista de 2020 serão as “habilidades críticas” e a “flexibilidade cognitiva”. Isto faz muito sentido, porque o serviço prestado ao cliente exigirá cada vez mais a agilidade, e será absolutamente on-demand, personalizado e totalmente dialógico. A flexibilidade cognitiva é uma habilidade que solicita do colaborador uma visão panorâmica de 360 graus com muita resiliência para conseguir lidar com os obstáculos, e para isto não pode-se pensar de maneira engessada e muito menos de forma metódica. O mundo muda a cada dia e as empresas precisam correr como em uma maratona atrás das mudanças. Ter no staff gente adaptável é vitaminar a empresa em direção ao progresso.

Mas se você realmente prestou bastante atenção nas duas listagens e as comparou, também observou uma outra habilidade “nova”,  pois aparece apenas para 2020, e que curiosamente não apareceu em 2015….e que tanto se fala sobre ela há tempos, percebeu qual? Sim, a Inteligência Emocional.  As empresas estão valorizando cada vez “muito” mais a inteligência emocional de seus colaboradores, e isto já vem ocorrendo no momento da contratação, o que submete os candidatos a uma forte vantagem competitiva quando detentores deste importante atributo psicológico.

Pessoas com alta I.E. (Inteligência Emocional) convivem melhor com seus pares e cooperam com os outros, assim como são ouvintes excepcionais e estão mais abertas ao feedback. São pessoas que têm mais empatia, e tomam decisões mais pensadas e menos impulsivas. Geralmente são colaboradores com alto nível de motivação e de produtividade, assim como possuem um forte senso de coletividade.

Desde que foi introduzido há décadas, o conceito de inteligência emocional foi anunciado por muitos como a chave secreta e intangível ao sucesso. Como esta ideia aumentou em popularidade e no mundo todo, também se tornou amplamente incompreendida, e às vezes até criticada por pessoas mais leigas no tema. Curiosamente mesmo cientistas, pesquisadores e outros estudiosos nem sempre concordam exatamente sobre o que é  a inteligência emocional. Você por exemplo pode ter lido várias definições complexas para o que compõe o conceito de inteligência emocional, mas podemos resumir isso em duas frases bem simples e que pode ajudar:

1) A inteligência emocional é a capacidade de fazer as emoções funcionarem “bem” para você, em vez de “contra” você.

2) Você pode gerenciar as emoções – sejam elas próprias, ou de uma outra pessoa.

Mais uma coisa para se pensar seriamente:  é muito importante perceber que a inteligência emocional não é inerentemente virtuosa como o senso comum acredita. Como qualquer habilidade humana, pode ser usada de forma ética como não ética. Veja este exemplo, alguns psicólogos estudiosos deste tema,  documentaram como as pessoas narcisistas e egomaníacas usam essa habilidade para intimidar ou até mesmo manipular os outros. Saiba que a melhor defesa contra a manipulação de pessoas com má índole mas com alta inteligência emocional, é você trabalhar subjetivamente para aumentar a sua própria IE e fazer as emoções funcionarem a seu favor, em vez de contra você. Se você sente-se frágil na construção desta habilidade (inteligência emocional) em sua vida, motive-se a desenvolvê-la pois o ônus de não detê-la em seu psiquismo pode causar-lhe uma série de danos.

A inteligência emocional afeta diretamente:

  • Seu desempenho no trabalho
    • A inteligência emocional pode ajudá-lo a lidar facilmente com as complexidades sociais do local de trabalho, liderar e motivar os outros, e se destacar em sua carreira.
    • Na verdade, quando se trata de selecionar os candidatos para um emprego, muitas empresas agora vêem a inteligência emocional como sendo tão importante quanto a capacidade técnica e solicitam o teste de inteligência emocional antes de contratar.
  • Sua saúde física
    • Estresse descontrolado pode aumentar a pressão arterial, suprimir o sistema imunológico, aumentar o risco de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral, contribuir para a infertilidade e acelerar o processo de envelhecimento.
    • O primeiro passo para melhorar a inteligência emocional é aprender a aliviar o estresse.
  • Sua saúde mental
    • O Estresse descontrolado também pode afetar a sua saúde mental, tornando-o vulnerável a ansiedade e depressão.
    • Se você é incapaz de compreender e gerir as suas emoções, você também vai estar aberto a mudanças de humor, enquanto a incapacidade de formar relacionamentos fortes pode fazer sentir-se sozinho e isolado.
  • Seus relacionamentos
    • Ao entender suas emoções e como controlá-las, você é capaz de expressar o que sente e entender como os outros estão sentindo.
    • Isso permite que você se comunique de forma mais eficaz e construir relações mais fortes, tanto no trabalho como na sua vida pessoal.

E então? Pronto para desenvolver as habilidades necessárias para a próxima década? 🙄 

SAIBA +

Como Criar Cultura de Inovação na Educação Online?