Feedback em Áudio Impacta Aluno Online

Feedback em Áudio Impacta Aluno Online

 

É muito comum que alunos de educação a distância invistam horas pesquisando e escrevendo a respeito daquilo que estão aprendendo, e para eles esta é uma experiência absolutamente frustrante quando recebem pouco ou até mesmo nenhum comentário do tutor. Receber um feedback parcimonioso ou pouco claro e com poucas explicações é uma experiência desestimulante para o aluno de educação a distância. É por isso que o feedback gravado, o feedback em áudio impacta aluno online nos mais diferentes AVAs , pois oferece comentários mais abrangentes, profundos e estimulantes.

 

O feedback em áudio impacta aluno online porque também é uma ferramenta para se conectar com ele de maneira construtiva e significativa;  pois a tarefa de fornecer comentários para que se envolvam continuamente é sempre um desafio, especialmente quando o feedback destina-se a ajudá-los a aprender com seus erros e assim fazerem revisões significativas. Não quero dizer com isto que o feedback escrito não seja importante e nem tenha a sua parcela de contribuição na formação do aluno, mas reforço a ideia de que a “voz” é particularmente estimulante,  especialmente ao aluno de educação a distância, assim como também  gera uma  economia de tempo para o trabalho dos tutores.

 

Neste cenário que descrevo, o tutor fornece feedback em uma gravação de voz, depois que analisa a atividade do aluno, que geralmente envolve a leitura na tela do computador ou através de um material impresso, e que sempre solicita a sua escrita em atividades propostas. Veja bem, eu não estou falando de dar apenas uma “nota” ao aluno como feedback, certo? A nota deve vir acompanhada de feedback sempre, principalmente quando trata-se de uma “avaliação”.  O feedback através de áudio pode ocorrer ao longo de qualquer tipo de avaliação, como por exemplo em um projeto dividido em partes ou até mesmo no momento final de uma atividade singular.

 

Comparando-se o “feedback por áudio”  com o “feedback escrito”, valorizo muito o fato de que o “feedback por áudio” é muito mais detalhado, mais pessoal e portanto  mais atrativo e receptivo por parte do aluno de EAD. Por outro lado os alunos quando aguardam a correção das atividades pelos tutores, também não esperam necessariamente um diálogo, uma conversa sobre o trabalho ou atividade que realizaram, pois já passou a fazer parte da cultura da educação a distância apenas o fornecimento do feedback “escrito” e não necessariamente o feedback “falado”.Existem tutores que apenas dão a “nota” e nem ao menos fazem comentários adicionais escritos ou falados, explicando o motivo da nota oferecida.

 

Sabemos também que os alunos ficam muitas vezes confusos com comentários escritos, e muitos deles realmente não sabem o que fazer com as observações fornecidas pelo tutor,  ou como fazer a mudança para melhorar o seu trabalho ou até mesmo transferir a sua aprendizagem para a próxima etapa ou projeto. Existe uma  dificuldade um tanto quanto comum,  dos alunos em relação à decodificação dos comentários, e isto pode ocorrer por eles terem grandes expectativas de retorno essencialmente diretivas, em vez de mensagens colaborativas ou até mesmo de conversação. Este é um outro problema da Educação como um todo, pois por muitos séculos “ensinamos” assim, ou seja, de maneira diretiva e não essencialmente colaborativa.

 

O feedback por áudio faz mais do que permitir aos tutores criarem uma ligação de mentoring pessoal com os alunos; mas permite principalmente tirar partido das tecnologias digitais que estão aí à nosso favor, personalizando a relação interpessoal. Comentários escritos para darem certo,  dependem sempre de breves descrições, mas os estudantes em geral podem melhorar muito a aprendizagem com o que “ouvem” , principalmente porque os tutores podem  fornecer explicações bem mais pontuais e ao mesmo tempo detalhadas e analíticas.

 

Não há dúvidas como já comentei anteriormente, que os “feedbacks escritos”  mostram que os alunos muitas vezes têm dificuldade em decifrar e interpretar comentários, e o maior problema nisto é que  deixam de aplicar o “feedback recebido” e assim não investem com sucesso nas revisões necessárias que o feedback explanou. Outro problema do “feedback escrito” é que apoiados nele, os tutores tendem a ser mais diretivos, pois isto é o mais comum de ocorrer quando se escreve o feedback em cursos online.

 

Quando acontece isto, perde-se uma grande oportunidade em desenvolver “aprendizagem qualitativa”, pois a “resposta” aí cumpre apenas o papel de editar os erros do aluno e nada mais. Assim,  é  bastante comum que os estudantes sintam-se confusos e frustrados, quando o comentário do tutor não produz uma solução específica que se encaixe no cansativo paradigma do “o que o professor quer.”

 

Já o feedback de áudio é uma maneira muito inteligente de se “apagar” a “caneta vermelha” digamos assim, e substituí-la pelo som da voz através das ideias apresentadas. Desta maneira não apenas o som, mas o tom de voz é muito relevante nesta perspectiva, porque desencadeia nos alunos a imaginação do tutor ali muito de perto, como se ele estivesse em sua frente.  Em ambientes online, os alunos não podem ver ou ouvir seus tutores ou seus colegas de classe de forma recorrente, as vezes de forma permanente; e existe nisto um certo potencial de se criar uma comunidade de aprendizagem com frágeis lacunas.  Em certa medida, a palavra falada sempre pode ser mais pessoal do que a palavra  escrita.

 

Como então gravar áudios ao aluno de EAD? É fácil, o tutor pode escolher um entre muitos aplicativos disponíveis e gratuitos para a gravação, e depois que gravar poderá salvar no dropbox e enviar no formato mp4. Ao receber este material,  o aluno faz o download para ouvir. Em turmas grandes, esta ação do tutor pode ser feita a cada grupo de trabalho, e assim se descreverá e analisará a produção de cada componente do grupo.

 

O feedback em áudio deve ser percebido pelo aluno de educação a distância como uma comunicação amigável, porque ele pode “ouvir” e “sentir” o tom de voz, e reconhecer  que o tutor o está incentivando e não necessariamente criticando-o. É um enorme ganho para todos; um caminho eficaz  para a aprendizagem, porque eles ouvem falar sobre a escrita deles. Isto por si só já é bem impactante.

 

A retroalimentação auditiva pode ocorrer ao mesmo tempo que o aluno assiste pelo site das aulas as ideias nas quais o tutor comenta na gravação de áudio.  Na verdade percebemos nesta ação a importância da aprendizagem pautada em vários modos de entrega simultâneos, neste caso especificamente pelo áudio e pelo visual.

 

Vale pensar que a gravação do feedback em áudio não permite que os alunos possam fazer perguntas imediatas como se estivessem em uma webconferência, vendo e ouvindo a voz do tutor e abrindo perguntas, e assim estabelecendo  uma conexão pessoal e de relacionamento imediato e síncrono, o que cria muitas vezes a sensação de disponibilidade total por parte do tutor.

 

Devo confessar que reconheço as limitações das conferências online quando as elegem  como o principal meio de dar feedback auditivo (e visual) ao aluno. Conferências via web são geralmente realizadas apenas duas vezes em um semestre de dezesseis semanas,  e são caracterizadas por um turbilhão de consultas por parte dos alunos e para poucos minutos demarcados, as vezes chegando a uma hora.  Nem sempre são produtivas por conta destas características que menciono, principalmente se a webconferência de uma hora for para dar feedbacks à centenas de alunos e ao mesmo tempo.

 

Saiba +

Como Dar Feedback em Cursos Online : http://bit.ly/1B2AcJo

 

Comentário em “Feedback em Áudio Impacta Aluno Online

  1. E se uma plataforma online incorporasse os feedbacks por áudio na hora de o professor corrigir as questões online? 🙂

Comentários estão bloqueados.