MOOC no Mundo e no Brasil

MOOC no Mundo e no Brasil

Quando falamos de MOOCs, sabemos que é uma solução educacional que possui uma agenda para acontecer, com data de início e outra de fim, que deve se apoiar em uma pedagogia válida para que dê sentido ao aluno online naquilo que estuda. Um primeiro ponto é pensar se o MOOC vai ser direcionado para o auto-estudo ou se vai ser  ministrado por um professor-tutor. Caso se opte pela segunda ideia, deve-se refletir qual será o papel do professor-tutor. Acima de tudo deve-se com muito cuidado analisar como seria o design instrucional mais apropriado para um público tão grande que é a maior característica e desafio desta aprendizagem tão inovadora.

 

Quais são as peculiaridades de concepção de um curso online que aborda um público tão grande? O que significa esta proposta em termos de design instrucional? Será que há uma pedagogia ideal por trás dos MOOCs?  Neste post , quero explorar as questões que envolvem o desenho instrucional para um público “maciço” de aprendizagem, e assim refletir como isto pode maximizar a motivação dos alunos que optam em estudar por esta metodologia e consequentemente minimizar as altas taxas de abandono que comumente ocorrem.

 

Hoje em dia já é bastante frequente pequenas e médias empresas assim como pequenas  instituições acadêmicas, escolherem uma plataforma MOOC como solução para a entrega de suas aulas online ao invés de realizarem isto pelas suas próprias plataformas.  Cursos online abertos quando muito grandes em sua extensão,  acabam oportunizando à instituições acadêmicas e ao setor empresarial novas oportunidades até mesmo de negócios na obtenção de uma extensa sala de aula.

 

Em vez de investir em uma grande quantidade de recursos em programas de treinamento, as empresas vem oferecendo ao staff  uma lista de links de MOOCs, onde os colaboradores podem acessar por conta própria, sem nenhum custo financeiro à organização. Em última análise, os MOOCs para treinamento corporativo dão ao mundo organizacional  a oportunidade de agilizar os processos de trabalho e garantir que cada funcionário se desenvolva em seus talentos.

 

Pensando pedagogicamente podemos afirmar que o MOOC  não permite o desenvolvimento de um trabalho voltado à aprendizagem que envolve a personalização,  que é uma metodologia que  atende as necessidades específicas ou as preferências de cada aluno;  mas certamente implica que o design instrucional para os MOOCs,  deve ser voltado  a  um padrão de dificuldade de nível médio, que forneça as informações geradas pelo professor a todos os participantes, além de oferecer um conteúdo de aprendizagem adicional para aqueles que querem se aprofundar em um tema específico.

 

O uso de perguntas fechadas é uma solução educacional muito adequada e que geralmente acabam sendo classificadas automaticamente  pelo próprio sistema tecnológico do MOOC. É um estilo de pergunta que colabora com o facilitador do curso, pois permite a ele que possa acompanhar o desenvolvimento dos alunos e que veja o progresso de toda a turma através da opção “relatórios” existente na plataforma tecnológica. Este tipo de feedback ao facilitador,  possibilita que se faça melhorias na proposta trabalhada ao longo do próprio trabalho.

 

Um design instrucional voltado aos MOOCs,  deve prever a combinação de atividades online síncronas e assíncronas. Vale pensar que nesta abordagem educacional há uma aplicação  padrão de métodos de ensino que recorrentemente são utilizados como:  palestras gravadas em vídeo, apresentações interativas, apresentações de slides e outros tipos de recursos online que fornecem aos alunos as informações, as oportunidades de interação não só com o material do curso mas também uns com os outros. Isto solicita que o design instrucional para MOOCs deva ser pensado com muito cuidado pois é uma solução educacional que vem demonstrando altas taxas de evasão atribuídas justamente à falta de interação por parte dos alunos.

 

Moocs (Massive Open Online Courses) são cursos online massivos que começaram a ser introduzidos no ano de 2011 por universidades de ponta dos EUA , como a Universidade de Harvard e o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT). O seu principal objetivo é levar conhecimento a um grande número de pessoas através de cursos à distância,  e por isto  estão conquistando boa parcela da sociedade mundial.

 

Quando pensamos em xMOOCs é relevante sabermos que são projetos  educacionais que acontecem em uma única plataforma MOOC  que pode lidar com muitos usuários simultâneos, e que na verdade consiste na enorme maioria dos cursos conhecidos como MOOCs. Mas existe também um conceito chave conhecido como  cMOOCs, que é desenvolvido por um trabalho em rede, e que significa que os alunos podem ir a qualquer lugar da internet para localizar muitas fontes de informação. Importante pontuar que a aprendizagem também pode ocorrer desta forma  fora da plataforma MOOC oficial, mas também em outros sites ou até mesmo no Facebook, Twitter e outras redes sociais.

 

Independente da abordagem que se usar no design instrucional para MOOCs,  sempre deve-se prever o que pode dar errado,  portanto o planejamento cuidadoso é a única solução para assegurar a maximização da eficácia e assim reduzir a evasão dos alunos. Pode-se motivar os alunos com recursos assíncronos bastante interessantes com a gamificação, que gera um sistema de pontos em cada conclusão das atividades que tenham sido realizadas com sucesso. Os alunos podem mostrar onde estão para os seus colegas na sala de aula virtual, por exemplo. Isto gera resultados bem positivos.

 

MOOC é uma versão de curso aberto apoiado pelas ferramentas da Web 2.0 ou redes sociais que visam oferecer para um grande número de alunos a oportunidade de ampliar seus conhecimentos num processo de co-produção.  O ambiente virtual acessível a significativa parte da nossa população, estimula a curiosidade e a postura de pesquisa, e nos faz aprender coisas novas de maneira infindável,  possibilitando a interação com informações de ponta e interessantes recursos que facilitam a vida de todos nós.

🙄

Assim, será que os MOOCs  estão destinados a imperar no ensino superior futuramente? Enquanto as opiniões ainda estão divididas sobre o que os MOOCs serão e quais funções  poderão ou deverão desempenhar, há um consenso no mundo e de maneira generalizada,  de que eles vão continuar a crescer em importância. Para a maioria, o verdadeiro valor dos MOOCs reside na sua capacidade de abrir o acesso ao conhecimento que antes era o de preservar uma pequena elite.

 

Nos dias atuais ele pode preparar ou completar o conhecimento de um aluno em relação a um curso tradicional,  ou apenas desenvolver a aprendizagem de uma pessoa em cima de questão pontual que ela queira trabalhar;  mas uma coisa é inegável,  os MOOCs oferecem uma oportunidade única e jamais pensada há alguns poucos anos atrás.

 

Os atrativos dos MOOCs são perceptíveis: são gratuitos e estão disponíveis a qualquer um no mundo que tenha um computador e conexão à internet. Algumas das universidades mais conceituadas do mundo estão criando seus próprios  MOOCs e cada vez de maneira mais sofisticada como : Stanford, Princeton, University of London, Melbourne, Bocconi e Shanghai Jiao Tong.

 

Um bom exemplo é a Georgia Tech, que está oferecendo um mestrado em Ciência da Computação usando a plataforma do Udacity para cursos online. A universidade já recebeu mais de mil alunos nesta modalidade.  🙄

No Brasil os cursos abertos online das melhores instituições de ensino do país e do mundo são oferecidos pelo Veduca, sendo que alguns deles proporcionam prova online gratuita para a obtenção de certificação.

 

Veja abaixo o ranking de cursos mais procurados por brasileiros 

Veduca:

  1. Capacitação em AdWords – Google – Isabel Furtado e Vince Vader
  2. Ciência Política – USP – Clóvis de Barros Filho
  3. Ética – USP – Clóvis de Barros Filho
  4. Gestão de Projetos – USP – Marly Monteiro de Carvalho e Daniel Capaldo Amaral
  5. Probabilidade & Estatística – USP – Melvin Cymbalista e André Leme Fleury
  6. Física Básica – USP –  Vanderlei Salvador Bagnato
  7. Energias Renováveis – ONUDI – Vários
  8. Eletromagnetismo – USP – Vanderlei Salvador Bagnato
  9. Aprendizagem e Utilização de Plataformas Digitais – UniSEB – Luís Cláudio Dallier Saldanha
  10. Bioenergética – UnB – Fernando Fortes de Valencia

* Dados do primeiro semestre de 2015

Coursera :

  1. Introdução a Finanças – University of Michigan (EUA) – Gautam Kaul
  2. Os Fundamentos da Estratégia de Negócios – University of Virginia – Michael J. Lenox
  3. Pense Melhor: Como Raciocinar e Argumentar –  Duke University (EUA) –  Walter Sinnott-Armstrong e Ram Neta
  4. Modelos de Pensamento  –  University of Michigan (EUA) –  Scott E. Page
  5. Desenvolvimento de Ideias Inovadoras para Novas Empresas: O Primeiro Passo para o Empreendedorismo –  University of Maryland, College Park (EUA) –  James V. Green
  6. Introdução ao Pensamento Matemático –  Stanford University (EUA) – Keith Devlin
  7. Criptografia I –  Stanford University (EUA)  –  Dan Boneh
  8. Teoria de Jogos –  Stanford University e The University of British Columbia (EUA)  – Matthew O. Jackson, Kevin Leyton-Brown e Yoav Shoham
  9. Um guia sobre Comportamento Irracional para Iniciantes –  Duke University (EUA) –  Dan Ariely –
  10. Aprendizagem Automática –  Stanford University (EUA) –  Andrew Ng

 

Leia mais sobre MOOC no Mundo e no Brasil: 🙄

>>> http://bit.ly/103iXmN

Saiba+