O Google Nos Fez Esquecer da Lista Telefônica

O Google Nos Fez Esquecer da Lista Telefônica

Estudiosos da inovação esperam que ocorram rupturas (disruption) cada vez mais intensas, rápidas e impactantes nos próximos anos, principalmente nos modelos de negócios tradicionalmente estruturados.  A inovação disruptiva chega até nós para criar novos mercados e desestabilizar a concorrência e assim consegue navegar por oceanos azuis, objetivando a quebra de paradigmas justamente por se referir a algo novo ou a uma mudança criada em determinado produto, ideia ou campo do saber. Quer um exemplo simples? O primeiro telefone foi definitivamente uma invenção, enquanto o primeiro telefone celular foi uma invenção e uma inovação, mas o primeiro smartphone podemos considerar como uma total inovação.

Veja bem, nós não mais carregamos um GPS no carro,  pois o mesmo já está no celular. Já não temos uma lanterna de reserva, pois agora ela fica no celular. Minha coleção de discos, minha câmera de vídeo HD, minha câmera HD, meus jogos, meus livros; todas essas coisas se desmaterializaram e estão no meu celular. O futuro desde agora é insondável, ambíguo e aberto a todas as opções. Uma mudança importante provocada por um concorrente, uma empresa de qualquer outro setor, uma startup ou uma nova tecnologia, às vezes é tudo o que se precisa para acabar com uma empresa tradicional e sólida de muitos anos.

É indiscutível que a inovação é uma das principais forças do capitalismo, assumindo um papel diário e muito importante na quebra do ciclo econômico vigente. É verdade que as inovações disruptivas podem canibalizar os velhos negócios, mas também possuem a força para criar novos e sensacionais mercados, pois em um ambiente de evolução constante,  é importante compreender a inovação como um grande recurso, e não como uma simples ameaça, mesmo quando for do tipo disruptiva, que subverte toda a ordem existente e que cria um mal estar em muita gente.

Se o seu negócio atual é como uma casa cuidadosamente arrumada, saiba que isso hoje em dia não é mais o suficiente. A próxima oportunidade (ou ameaça) provavelmente estará fora das suas paredes, na intersecção de setores e mercados que você não consegue visualizar se apenas se concentrar em olhar para dentro de sua casa. A velocidade com que as mudanças estão ocorrendo implica que muitos dos riscos vistos como ameaças de longo prazo, podem se tornar um pesadelo em muito pouco tempo. A mudança é contínua! Assimile esta ideia. Duvida? Então veja e reflita sobre estas realidades que todos assistimos de camarote em tão pouco tempo…..

1)  O Mp3 faliu as gravadoras.

2)  O Netflix faliu as locadoras.

3)  O Booking complicou as agências de turismo.

4)  O Google faliu a Listel – páginas amarelas e as enciclopédias.

5)  O Airbnb está complicando os hotéis.

6)  O Whatsapp está complicando as operadoras de telefonia.

7)  As mídias sociais estão complicando os veículos de comunicação.

8)  O Uber está complicando os taxistas.

9)  A OLX acabou com os classificados de jornal.

10)  O celular acabou com as revelações fotográficas e com as câmeras amadoras.

11)  O Zip Car está complicando as locadoras de veículos.

12)  A Tesla está complicando a vida das montadoras de automóveis.

13)  O email e a má gestão complicou os Correios.

14)  O Bitcon vai complicar Bancos e Governos

15)  A EAD está complicando a Educação tradicional…..incluindo aí os professores!!!

    Mais alguma “ruptura econômica”  que foi esquecida?

Vamos entender que as inovações introduzem novos benefícios ao mercado, como maior simplicidade e conveniência no uso e muitas vezes também ao menor custo ao consumidor. Estas inovações batem de frente com os produtos e serviços já existentes, pois a maioria das empresas não está preparada para enfrentar modelos de negócio diferentes dos que consolidou ao longo de décadas de sucesso. Além disso, por estarem engessadas em seus modelos mentais e presas a processos que a levaram a posições sólidas, custam a perceber as mudanças no mercado, subestimando as inovações disruptivas.

Os negócios mais ameaçados serão sempre aqueles que tentarem se proteger ignorando o poder de decisão dos consumidores. É essencial ficar antenado com as mudanças, analisando continuamente as startups de cada setor. Concorda?

SAIBA+

Matéria sobre este conteúdo na Coluna “Desvendando a Tecnologia” da Rede TV,  por Cláudio Boghi >>> Link:

http://www.redetv.uol.com.br/colunistas/desvendando-a-tecnologia/mudancas-tecnologicas-naturais