O Que Eu Diria aos Novos Tutores de Educação a Distância – EAD?

Novos Tutores de Educação a Distância

Novos tutores de educação a distância sempre me escrevem perguntando muitas coisas sobre a EAD, mais especificamente sobre o exercício docente da tutoria online.  Esta  interação com tantos novos profissionais tem me causado muita satisfação pela oportunidade do diálogo;  pois são pessoas que me fazem questões, indagações, afirmações e ricos depoimentos, onde percebo que os novos tutores de educação a distância estão tentando acertar os seus caminhos em direção a uma tutoria de qualidade.

 

Estes contatos são ricos e me estimulam a rever a minha própria história profissional e a fazer um balanço da década e meia que atuei como professora-tutora e professora-conteudista  de cursos online. Partilho com todos que me procuram as minhas ideias, experiências e atuações,  para poder ajudá-los em suas reflexões e auto-análises,  e assim acabo muitas vezes fazendo com eles um coaching informal.

 

Quero sempre que possível ajudar estas pessoas a se desenvolverem, porque a EAD  do Brasil precisa muito de tutores competentes. Algumas delas querem começar os estudos para se tornarem tutores e muitas outras  já são tutores mas querem tirar dúvidas e saberem detalhes sobre as inovações e o mercado educacional da EAD.  Então diante desta minha experiência relacional com estas pessoas,  resolvi escrever este post intitulado o que eu diria aos novos tutores de Educação a Distância-EAD? Ou….o que eu digo agora a eles.. Então vamos lá…  😆 

 

Primeiro compartilho parte significativa do meu percurso de atuação nesta área, e sempre acredito que as nossas histórias contadas são melhores do que tudo aquilo que podemos explicar teoricamente. Os meus leitores sabem que trabalho com educação a distância desde o ano 2000 no ensino superior e com cursos online da área da Psicologia, aliás área da minha formação. Tudo começou para mim justamente em uma época onde a maioria das pessoas não sabia ao certo o que era educação a distância-EAD, inclusive eu.  🙄

 

As poucas pessoas que naquela época conheciam o conceito de educação a distância, sentiam forte resistência e preconceito com a modalidade,  principalmente os intelectuais como também os “não intelectuais” do universo acadêmico. Acreditava-se ali que somente a Educação presencial, em sala de aula física, com um professor face-a-face e uma lousa;  poderiam atender as necessidades cognitivas e inter-relacionais dos alunos. Defendia-se que a relação humana se dava apenas pelo contato olho-a-olho e face-a-face, aliás bandeira levantada não só na Educação daquela época,  mas em outros contextos também. Havia uma crítica feroz a qualquer tipo de contato humano intermediado pelo computador;  e aquele pessoal realmente não conseguia dimensionar o que viria no planeta à partir das tecnologias….como por exemplo as redes sociais e os smartphones que revolucionariam a relação humana para sempre!

 

Antes de continuarmos com a minha história profissional na EAD,  quero colocar que sou uma professora universitária que migrou do ensino presencial para a educação a distância com intensa motivação, curiosidade e desejo em fazer o meu melhor; mas nunca deixei de atuar totalmente com a modalidade presencial que sempre foi uma importante bússola para eu me situar nas duas modalidades e poder pesquisá-las com um olhar investigativo e científico.  Embora sinta forte predileção pela metodologia EAD, pois é ela que me faz refletir como docente em inúmeras questões que envolvem a aprendizagem ativa e disruptiva,  também ressalvo que aprecio muito a aprendizagem híbrida, que une momentos presenciais com momentos virtuais.

 

A aprendizagem híbrida que também é conhecida pelo nome de blended learning, alterna momentos em que o aluno estuda sozinho em ambiente virtual, com momentos que este aluno atua em processos colaborativos em grupo para interagir com colegas e professor na sala de aula física, podendo assim aprofundar conceitos daquilo que já foi estudado primeiramente via online e de modo sozinho. O ensino híbrido abre espaço para trabalhos em equipe de uma maneira como nunca antes havia sido feito em salas físicas, e consequentemente abre espaço também para o desenvolvimento do pensamento crítico;  pelo nível de solicitação que impõe ao aluno no momento do trabalho colaborativo. Os alunos passam a dominar os assuntos a partir de aulas virtuais e aprofundam o conhecimento com perguntas, pesquisas, investigações, diálogos, debates que os levam à construção de projetos .

 

Através do exercício profissional em  EAD,   muitos tutores interessados em aprofundar os estudos no tema, pesquisam diversos ambientes virtuais de aprendizagem,  processos educacionais individualizados e coletivos em EAD, as novas tecnologias educacionais como as coadjuvantes, a inter-relação em salas de aula virtuais, a autonomia para aprender a aprender, a cooperação e a colaboração entre pares. Atuar profissionalmente em EAD com percepção científica, gera pesquisa que direciona o profissional à novas compreensões e criações de inovadores e criativos modos de desenvolver a aprendizagem dos alunos.

 

No início da minha  prática em educação a distância, também acontecia um outro fato curioso; pois os meus pares da época, aqueles professores universitários que também lecionavam ao meu lado no sistema presencial e na mesma universidade, olhavam para a situação como se eu estivesse colaborando com a deterioração da Educação ao atuar no modelo online,  que ali surgia como uma caixa de pandora para todos. Vivenciei algumas críticas veladas e olhares de estranhamento pelos corredores da universidade, e muitos destes professores ironicamente depois de alguns anos também se tornaram tutores da EAD, e o mais interessante na mesma instituição que atuávamos. Nos tornamos colegas de práticas, o que foi muito bacana.  🙄

 

Sempre soube que algum dia aqueles docentes resistentes iriam aderir à modalidade EAD,  e que principalmente  desenvolveriam muitas habilidades e competências como professores online, da mesma maneira que eu me desenvolvi e que todos de maneira geral desenvolvem. Este fato na verdade me trouxe alegria, pois foi muito positivo assistir a evolução daqueles docentes que também se tornaram atuantes e até defensores da EAD.

 

Todas as críticas que recebi dos docentes tradicionalistas naquele início, nunca me abalaram ou sequer me deixaram em dúvida em relação ao que ali eu tomava como decisão em minha vida profissional docente.  Eu tinha uma certeza íntima que naquele novo contexto educacional se iniciava algo muito importante para a coletividade e que não teria volta, principalmente  porque iria contribuir com o desenvolvimento daqueles alunos, como de muitos outros que ainda chegariam como realmente chegaram; e que ainda chegam aos milhões para a educação a distância.  😀

 

Eu conseguia compreender com muita clareza  que seria inovador dar aula através da tecnologia, e nunca tive insegurança que a afetividade entre os alunos e eu,  fosse diluída pela intermediação da máquina. Hoje quando me auto-avalio, percebo que todo o trabalho de tutoria que realizei incansavelmente por tantos anos, fez de mim uma professora melhor, não só na modalidade online mas também no presencial. Ter melhorado como professora, penso que tenha me feito também uma pessoa melhor. São relações indissociáveis…

 

Tenho como características pessoais, a atração pela inovação e pelos desafios instigantes, principalmente aqueles que me levam a aprender coisas novas;  e quando me deparei com a oportunidade de escrever um curso a distância e ainda poder ser tutora daquele conteúdo que havia produzido; sendo que eu como todos os outros, ainda  não  tínhamos a mínima ideia em como seria trabalhar naquele contexto; abracei fortemente aquela oportunidade pois desejava ver tudo de perto  e ser protagonista como professora de algo que iria mudar a Educação a médio prazo. Eu tinha que me lançar naquela experiência, eu tinha que ensinar fora da sala de aula presencial!  Que desafio era aquele!! 😯

 

O que foi interessante neste processo, é que fui aprendendo sozinha e de forma empírica a ser uma tutora online. Sim! Não havia naquela época um treinamento específico ou uma formação em como ser “tutor”, pois as coisas estavam apenas começando. Tínhamos diversas diretrizes, pois havia o conteúdo, as atividades, a comunicação com os alunos e os nossos gestores contavam com os nossos atributos que já eram perceptíveis dentro da sala de aula presencial para que o processo desse certo,  como empatia com os alunos, auto-organização, disciplina em relação a forma de trabalhar, domínio do conteúdo, comunicabilidade clara e objetiva, e principalmente atração pela vanguarda, pela inovação e muito comprometimento com a instituição  para que tudo aquilo desse muito certo, como realmente deu!!

 

Me sinto gratificada quando passo esta história à limpo. Sinto que posso colaborar com muitas pessoas que estão iniciando as suas experiências em EAD-educação a distância. A minha experiência será partilhada continuamente através de tudo o que eu construir neste sentido. Com isto espero ajudar a muitos!! 😀

Curta a nossa FanPage no FACEBOOK – https://www.facebook.com/BlogEducacaoADistancia  😀

Saiba+

 

 

15 comentários em “O Que Eu Diria aos Novos Tutores de Educação a Distância – EAD?

  1. Olá Lilian!
    Adorei seu texto, pois, antigamente tinha bastante preconceito com esta modalidade – como infelizmente, alguns pessoas insistem em ter. No entanto, tudo mudou, quando precisei cursar uma especialização e não pude presencialmente, procurei até encontrar uma a distância, comecei só para ter um título no final do curso, mas, bem antes disso, estava fascinada com a metodologia aplicada.
    Antes mesmo de terminar em 2009 já estava decidida em trabalhar com EAD, mas como não tenho experiência, comecei a fazer cursos e faço até hoje, sonho em concretizar apesar de existir certas “panelinhas”, ou seja, só com q.i(quem indique) e seleções e concursos sérios são raros, só que não irei desistir, ao contrário, gostei do seu artigo, porque serviu além de informação e um belo incentivo.

    • Olá Eveliny,

      Quanta coisa boa você nos conta! Fico feliz que o post tenha colaborado em suas percepções e reflexões. Não desista, a profissão de tutor é muito bem-vinda, pois o Brasil explode neste momento em relação à EAD. Nunca tivemos tantos cursos. Vá em frente e realmente se profissionalize com os BONS Cursos disponíveis no mercado. Mas sempre compreenda, que para sermos um tutor eficiente devemos em primeiro lugar nos “colocarmos” no “lugar” do “aluno”, ok? Queira para “ele” o que gostaria para “você” em relação à ensino-aprendizagem.

      Grande abraço e sucesso!

      Liliam Silva
      Blog Educação a Distância

  2. Bom dia Liliam!

    Gostei do seu texto e das suas experiências; sou professora presencial há 25 anos e atualmente também partilho da experiência de tutoria presencial. A visão que eu tenha do EAD é bem parecida com o que abordou em seu texto, e vejo que a EAD realmente está fazendo a diferença em nível de aprendizado; alunos pesquisam mais, leem mais, elaboram textos com maior facilidade, devido a análise de artigos. Trabalhos em grupo nesta modalidade preparam os educandos, com trocas de ideias e elaboração de conceitos e informações.
    Hoje, a minha visão de EAD, posso dizer que vejo como um elo promissor do futuro na área da educação, através do uso de novas tecnologias e recursos, que realmente aproximam a realidade do estudante em suas casas e no trabalho, com a sala de aula de aprendizagem virtual, que além desse recurso, trabalha também com uma equipe simultaneamente, como coordenadores, professores, conteudistas, tutores a distância, tutores presenciais, monitores se necessário; enfim todos que fazem acontecer esse ensino a distância de excelência. Estou feliz por estar hoje fazendo parte desse mundo, e encantada com a possibilidade de mudanças educacionais positivas. Abraço, Rosi Piber

    • Boas experiências Rosi!
      Obrigada por compartilhá-las!

      Abraços,
      Liliam Silva
      Blog Educação a Distância

  3. Liliam,

    Adorei seu relato. Assim como você e a Rose, sou entusiasta da EAD. Fiz um curso rápido de tutoria e me encantei pela área. Hoje curso pós-graduação em Planejamento e implementação de EAD, pela UFF, e mesmo não tendo ainda atuado como tutora, utilizo muitas das ferramentas aprendidas para dinamizar minhas aulas presenciais.Tenho colhido bons resultados como maior proximidade com os alunos e empenho no desenvolvimento das tarefas propostas, maior participação nos trabalhos em equipe. Uma das têndencias é o uso das redes sociais como o facebook. Por ela acompanho trabalho dos grupos e também realizamos discussões e complementamos conteúdos aprendidos em sala.

    Abraços,

    Daniele Torres

    • Olá Daniele,

      Seja bem-vinda ao mundo da EAD e tutoria. Fico feliz que esteja encantada pelo “ser tutor” e não necessariamente “estar tutor”. É uma vocação que realmente deve vir de “dentro”, do subjetivo.

      Desejo-lhe boa sorte! Estou acabando de escrever um post sobre o uso das Redes Sociais em relação aos estudos online.

      Baixe gratuitamente no Blog o Guia Rápido: “7 Segredos para se Tornar um Tutor Eficaz” e leia o nosso post de ontem no YAHOO Educação – http://bit.ly/ZV1Cvz . Penso que possam ajudá-la neste percurso.

      Forte abraço,

      Liliam Silva
      Blog Educação a Distância

  4. Olá Liliam, é muito bom ver seu entusiasmo, dedicação e pioneirismo em EAD, participar deste processo criativo te propiciou conhecimentos técnicos e sabedoria, poucos estudiosos ensinam o “pulo do gato”, o que você faz com maestria. Essa leitura faz parte de nossa profissão, também sou psicóloga ! minha especialização foi em Análise Transacional e fiz alguns cursos de PNL que considero teorias e técnicas muito boas para o trabalho com grupos de pessoas e também em equipe profissional. Trabalhei com grupos de adolescentes em Orientação Vocacional e ao estudar Tutoria em EAD percebi muitas semelhanças na abordagem, pois os adolescentes imaginavam que fariam um teste vocacional e a partir daí teriam “aulas” e explicações sobre a profissão que se sairiam melhor…trabalhávamos a resistência em mudar os paradigmas.
    E o Tutor em EAD encontrará resistência (silêncio) em alguns alunos, este eu considero o desafio que requer talento e como você comentou com a Danielle, envolve vocação. E por aí vão surgindo muitas situações que para atuar com “excelência” o Tutor precisa de muito estudo e ter consciência que este processo nunca termina, é o que me fascina: a dúvida e o aprendizado.
    Ouço muitas críticas quanto a EAD, principalmente quanto aos cursos superiores. Algo como: fábrica de diplomas, o nível dos profissionais não será o mesmo… e concordo que há este risco sim, e dependerá da atuação do Tutor motivando, mediando e criando feedbacks que propiciem o bem estar do grupo.
    Liliam, achei muito bom o Guia do Sucesso,todos que pensam em Tutoria como Carreira precisam ler e refletir bastante, não existe ninguém pronto para ser Tutor em EAD. Apesar de não ser uma profissão regulamentada muitas instituições estão exigindo profissionalismo, visando a qualidade da aprendizagem.
    Abraços a todos
    Patricia Pasqua

    • Bem-vinda ao time Patrícia Pasqua!
      Obrigada pelas suas considerações!

      Volte sempre por aqui e participe!

      Forte abraço,

      Liliam Silva
      Blog Educação a Distância

  5. Olá Liliam, adoro seu blog!
    Parabéns pelo site e por fomentar as discussões sobre a educação e também sobre a educação a distância que de fato é uma tendência que não poderá ser barrada por ninguém ou nada, quem estuda sobre o assunto sabe o quanto essa modalidade (EAD) não deve nada para presencial.
    Eu só não concordo com o que você disse no 3º parágrafo, que a modalidade presencial é multisecular, pois já se sabe que diversas escolas particulares (e também públicas) vários professores trabalham com projetos, e que o principal autor e ator da aula é o aluno e não mais o professor, um exemplo disso é a Escola da Ponte (muito conhecida em Portugal) e outras escolas em São Paulo (como a Lumiar: http://lumiar.org.br/) que já fazem e constroem a aula de forma dialógica e significativa.

    Obrigado pelos ótimos textos e muito sucesso!
    Forte abraço e eu compartilho seus textos no “linked in” tá?

    • Oi Mário!

      Bem-vindo e obrigada pelas considerações. É bom dividirmos percepções similares.

      Só uma correção em relação a leitura que fez do texto. Quando falo de escolas multiseculares, me refiro a cronologia do presencial e a consequente redundância do método.

      Se compararmos a cronologia da EAD pautada na tecnologia e o sistema presencial(desde os jesuítas no Brasil!!), o segundo realmente é multisecular e muitas vezes desgastado . Pelo menos este é o meu ponto de vista, ou seja, professor detentor do “saber” e alunos “passivos” acomodados em aulas expositivas.

      Segue este link sobre a História do Ensino Superior no Brasil: http://universidades.universia.com.br/universidades-brasil/historia-ensino-superior/

      Forte abraço e apareça sempre!
      Agradeço que compartilhe os posts!

      Liliam Silva
      Blog Educação a Distância

  6. Olá Liliam, obrigado pelo retorno.

    Concordo com você, o ensino presencial está desgastado, mas confesso que muitas vezes na graduação eu fui pra aula só pra “receber” o conteúdo, pois estava muito cansado depois de um longo dia de trabalho (hehehe) e sem nenhuma vontade de “trabalhar” em aula ou construí-la.

    Obrigado pelo link, vou ler com carinho.

    Vou aparecer sim! Abraços,

    Mário Rocha

  7. Olá Liliam,

    Comecei a fazer um curso de tutoria online e me identifiquei bastante! Procurando na net achei o seu blog, ele é maravilhoso. Ainda não tenho experiências com tutoria, mas quero me especializar nessa área. As suas experiências são fantásticas, está me ajudando bastante.
    O seu blog já faz parte do meu favorito.
    Parabéns pela sua iniciativa em compartilhar o seu conhecimento.

    • Olá Elenice!

      O que precisar conte comigo!

      Volte sempre e dialogue conosco.

      Boa sorte em sua nova carreira!

      Forte abraço,

      Liliam Silva
      Blog Educação a Distância

  8. Oi LIlian com todos os seus relatos me identifiquei em suas vivencias e experiencias ,pois tenho uma característica pessoal parecida com a sua ,atração pelo novo ,e gosto de coisas que me instiguem e é onde eu mesmo me desafio e proponho a fazer .Sei que este caminho ao qual me propus a seguir não é fácil ,mesmo nos dias atuais ,mas você foi resistente ao seu proposito no tempo mais dificil que foi quando começou a se falar em EAd ,acredito que hoje esteja um pouco mais facil ,vc não concorda ? para quem está iniciando agora ?Os desafios sempre vão existir é claro.
    Forte Abraço e muito obrigada por suas contribuições

    • Obrigada à você Mirela, pela participação.

      Abraço,

      Liliam Silva
      Blog educação-a-distância.com

Comentários estão bloqueados.