Ouça o Aluno de EAD

Ouça o Aluno de EAD. Mas Como?

Ouça o aluno de EAD,  sempre. O que isto significa? É uma atitude de se conversar,  que implica  “mudar juntos” (com +  versare) à partir de uma conversa,  onde todos os participantes devem sair “transformados”, pelo fato de poder realizar trocas de ideias, de pensamentos, de pontos de vista e emoções. Só que para conversar é  preciso “escutar”,  para assim  poder “ouvir”. Saber “ouvir” significa oferecer atenção ao “outro”, tanto no que ele transmite pela linguagem verbal como também pela linguagem não verbal. Então…ouça o aluno de EAD….mas como?

 

Quando nós nos posicionamos para ouvir o aluno, fazemos isto abdicando de interesses pessoais e particulares para nos relacionar de maneira sólida através de  interesses genuínos por ele. Até aqui tudo bem? Está me “ouvindo” por esta linguagem escrita e portanto não-verbal?  E como será “ouvir” nas entrelinhas através do que o “outro” escreve à distância, diferentemente do que ocorre quando se fala e gesticula presencialmente?  Bem.. ouça o aluno de EAD, ouça as pessoas que circundam a sua vida, pois “ouvir” é uma arte e um  grande exercício que nos torna mais humanos e mais eficazes em nossa comunicação interpessoal. Ouvir alguém de verdade envolve empatia. Saiba que a grande maioria das pessoas não sabe ouvir…. 🙄

 

Eu costumo falar em minhas palestras que o ponto de partida para o bom  desempenho dos “educadores grupais” nos AVAs, também chamados de tutores em salas virtuais de aprendizagem que lidam com um grande número de alunos, é  eles saberem  “conversar” com estes aprendizes através das  tecnologias interativas, objetivando com isto a comunicação clara, a integração, a troca. Levo em consideração que o ato de “ouvir” no contexto da EAD,  significa a habilidade do tutor em conjunto com toda a sala online,  imersos em relações humanas virtualizadas,  compreenderem as palavras “ditas”e assim “verbalizadas” pelas webconferências e principalmente as palavras “escritas” pelos chats, fóruns, e-mails.

 

É bastante comum que justamente as palavras escritas em qualquer contexto, sempre ganhem interpretações “erradas”, principalmente por não acontecer a interação sensorial que ocorre em encontros presenciais. Na presencialidade podemos “enxergar” e portanto “ver” as reações emocionais e as intenções das pessoas pelos gestos, tom da voz, maneira de “olhar”e posturas físicas. Desta maneira as palavras escritas são grandes desafios comunicacionais para quem depende delas.

 

Em educação a distância, por ser uma modalidade de aprendizagem que interliga, conecta e agrupa alunos distantes geograficamente objetivando a interação destinada à construção de conhecimento, o “como” “ouvir” o aluno de EAD torna-se o grande desafio ao tutor que se ocupa do papel  de “ouvinte” que  “escuta” o seu aluno em todas as entrelinhas do que ele escreve e do que ele fala à distância física.  Por outro lado, este mesmo tutor também deve dominar as habilidades comunicacionais para que seja realmente compreendido e interpretado dentro de cada contexto. Vale lembrar que “palavras não ditas”, também são carregadas de mensagens.

 

Como explorei acima, reforço que as palavras escritas podem ser mal compreendidas e este é um grande perigo para que as relações se fragilizem dentro de qualquer contexto, seja lá familiar, profissional, social e no nosso caso educacional. Pedir em uma sala de aula virtual que todos  sejam bastante explícitos sobre os seus raciocínios e visões ajuda por demais. Existem perguntas que o tutor poderá utilizar para que o aluno online consiga ser claro e objetivo, como estas perguntas aqui, que apresento para vocês terem uma ideia: Pode me dar um exemplo? O que o levou  a interpretar desta forma? Como poderíamos testar esta hipótese? Conte-me mais como chegou a esta conclusão.  Ajude-me a compreender melhor o que você está tentando me “dizer”.

 

Outra maneira interessante de ouvir o aluno de EAD,  é sempre oferecer perguntas “abertas”, pois assim será fornecida a ele  uma amplitude maior para que responda e portanto “pense” um pouco mais. Perguntas que solicitam apenas as clássicas  respostas “sim” ou “não”, apenas “travam” a oportunidade do “refletir criticamente” e expandir as percepções individuais e coletivas em inúmeros momentos virtuais que ocorrem a aprendizagem.

 

É interessante também que ao longo dos encontros online de um curso em EAD ou de uma disciplina específica nesta modalidade, não se utilize perguntas “erradas” que objetivam sempre ou pelo menos  na maioria das vezes, apenas persuadir o aluno de que o professor-tutor está certo e ele aluno,  errado. Perguntas construtivas à distância em EAD, naturalmente remetem à respostas claras e caso não sejam claras é importante que se solicite maior clareza ao aprendiz ou mostrar que algo ali é incoerente para você.

 

Se você for tutor de uma turma ou um aluno online fazendo uma tarefa grupal em EAD, peça os devidos esclarecimentos aos envolvidos naquele contexto de equipe. No caso do tutor, sempre se certifique que o seu aluno virtual está à vontade para lhe responder, pois muitas vezes a mais hábil pergunta pode deixá-lo muito na defensiva, principalmente se ele estiver exposto ao grupo de trabalho ou até mesmo à  sala virtual.

 

Sempre transforme a sua pergunta em um convite em vez de uma exigência. Oferecer a escolha de responder ou não,  também aumenta a chance de se obter respostas honestas. As relações honestas entre alunos e professores são as mais benfazejas possíveis tanto na modalidade à distância quanto na modalidade presencial.

 

Demonstre ao seu aluno online que você realmente o “escutou”,  independente se ele lhe escreveu ou verbalizou algo. Expresse a sua compreensão.  Saiba que parafrasear alguém faz a outra pessoa saber que realmente foi ouvida, e se o seu aluno estiver falando várias vezes a mesma coisa, incansavelmente, veja isto  como um sinal que você precisa parafrasear mais, ficar mais atento ao que se passa ali com ele.

 

Quando o aluno de EAD  sente-se realmente ouvido, é muito provável que ele  preste mais  atenção ao que você tem a dizer. Outra coisa, responda aos alunos virtuais todas  as perguntas invisíveis. O que são “perguntas invisíveis”? São aqueles  sentimentos e emoções percebidos por você e por todos, que vagam pelas tentativas de diálogos. Saiba que  a maneira mais profunda de se compreender este tipo de situação é através da empatia,  que oportuniza que se veja tudo através do “olhar” do outro. Sim, estou falando de um tutor que seja ouvinte empático, que compreenda o que seu aluno está “falando” ao se colocar no lugar “subjetivo” dele.

 

A escuta pode parecer uma função passiva, mas não é; pois ela coloca em movimento a motivação e a vontade do “outro” de se expressar, fazendo-o falar ( linguagem verbal ou não-verbal), deparar-se com seu “não saber”, com as suas dúvidas. Desta maneira a “escuta” é totalmente “ativa”, e assim  é preciso dar consequências a ela, como por exemplo gerar no aluno virtual a satisfação de realizar descobertas ao longo da aprendizagem, do impacto positivo pelo novo “saber”. Então ouça o aluno de EAD e ouça a todos que convivem com você!!  😛

Saiba+

Como Conquistar o Aluno de Educação a Distância?

9 comentários em “Ouça o Aluno de EAD

  1. Gostei muito. Poderia me encaminhar uma copia por e-mail?Sou profªEad No IFPR.

  2. Engana-se quem pensa q o EAD seja um metodo fácil de aprendizagem por não estar em uma sala convencional de aula. Ao meu ver exigisse muita dedicação e disciplina. Será que qualquer aluno estaria apto a realizar um curso EAD?

  3. Gostei das considerações ditas, coordeno o polo BH de cursos técnicos EAD e percebo o quanto é importante ouvir o aluno e ajudá-lo a esclarecer suas dúvidas. Eles estão o tempo todo buscando suporte em nós que somos pessoas presentes no dia a dia.

  4. O tutor deve interagir com seus alunos como se os mesmos estivessem em aulas presenciais, dando á eles a liberdade de questionar sempre que houver duvidas e compartilhar suas experiências e curiosidades. Deve passar para seu aluno a confiança de que ele tem um professor que o compreende e que se dedicará a ensina-lo.

  5. O professor deve sempre ouvir e conversar com seus alunos sendo eles do EAD ou da presencial, ele deve passar a confiança de que o aluno não está sozinho e que tem alguém para auxilia-lo.

  6. Gostei muito de vosso artigo, realmente os tutores devem estar totalmente preparados a praticamente, em algumas vezes, adivinhar as perguntas e dúvidas dos alunos, esta maneira de atender aos mesmos tem melhorado paulatinamente na vida daquele que sabe e gosta do que faz, PARABÉNS A TODOS OS TUTORES pessoas preocupadas com o ensino e a educação!

    • Obrigada pelas considerações ao Blog, Daniel!

      Apareça sempre por aqui.

      Abraços,

      Liliam Silva
      Educação a Distância.com

      • Muito obrigado sempre que possível estarei acessando vosso blog.

Comentários estão bloqueados.