Tempo Real na Educação a Distância

Tempo Real na Educação a Distância. Se Aprende Mais?

Como pode uma ferramenta síncrona ser usada para melhorar os resultados de aprendizagem  ou resolver um problema de aprendizagem que não está sendo atendido dentro de aulas assíncronas?  Hoje vou discutir neste post  sobre o  potencial da comunicação síncrona, aquela que ocorre em tempo real na educação a distância, analisando  ferramentas e plataformas que facilitam este tipo de  comunicação tanto individualmente como em grupo. Será que se aprende mais em tempo real na educação a distância ?  Não podemos nos esquecer que é absolutamente necessário olharmos para a pedagogia associada à implementação das ferramentas de comunicação síncrona em ambientes de aprendizagem assíncronos.

 

Vale lembrar também que a comunicação assíncrona é aquela que dispensa a participação instantânea de alunos e tutor na mesma hora. Comunicar-se em tempo real estando a uma distância geográfica nunca foi tão fácil como nos dias atuais para qualquer pessoa.  Nos últimos anos principalmente, houve uma oferta de aplicativos gratuitos e plataformas no mercado tecnológico, que quebraram as barreiras da distância e do tempo e assim permitiram  que as pessoas de maneira geral  se comuniquem  em tempo real e a qualquer distância pelos dispositivos móveis, como celulares, tablets ou laptops.

 

Desta maneira existem inúmeros aplicativos e plataformas tecnológicas  que possuem grande potencial para o desenvolvimento de diálogos em tempo real na educação a distância e isto é indiscutível. As atividades de comunicação síncrona apoiam por demais as necessidades sociais dos alunos online, principalmente aquelas que não são normalmente atendidas no formato assíncrono.

 

Ferramentas síncronas não devem ser usadas como um meio em que o tutor entregue apenas informações em tempo real na educação a distância, mas devem ser compreendidas  como um veículo que permite a troca de informações, que acomoda conversas instantâneas, que constrói aprendizagem,  assim como estabelece a troca de ideias e gere a motivação dos alunos. Atividades síncronas de maneira geral  contribuem para a construção da presença social de todos em ambientes virtuais de aprendizagem, mas  por outro lado podem ser desvantajosas quando o seu uso é destinado aos estudantes que vivem em fusos horários diferentes. Esta é uma intercorrência baixa em cursos online fechados destinados à formação acadêmica ou em cursos livres ofertados de maneira informal, mas já é um problema grande em cursos massivos que atendem à grande público do mundo inteiro.

 

Na minha experiência profissional como professora-tutora em EAD,  ao trabalhar com atividades síncronas em aulas online fechadas,  pude perceber que a maioria dos estudantes está disposta  a ajustar a agenda para participar de atividades em tempo real na educação a distância , ainda mais quando as atividades têm um propósito claro e parecem dignas dos estudantes investirem a sua atenção naquele tempo marcado. Tenho turmas com alunos que moram  no exterior, e eles comparecem às provas presenciais no Brasil, e nunca faltam  aos encontros virtuais síncronos ao longo de todo o curso. Todos eles sempre se mostram  motivados no ajuste de agenda pessoal/profissional frente aos horários síncronos marcados para os nossos diálogos. E isto é absolutamente compreensível.

 

Na verdade o aluno geralmente está muito  disposto a lidar com os problemas de diferença de fuso horário  ou de agenda,  quando percebe que o que encontrará naquele horário marcado, ou no momento síncrono,  será de grande valia à  sua formação;  e assim aproveita muito este tipo de oportunidade, aliás oportunidade que gera a interação absolutamente “online” (tempo real) com o grupo de colegas e  de maneira mais amplificada e menos estruturada  para todos aprenderem entre si, compartilhando  experiências e conhecimentos. Se esta é uma realidade em cursos de graduação à distância; em cursos de pós-graduação ou tecnológicos é unanimidade entre os alunos. Digo isto de maneira absolutamente confortável, pois a minha experiência como professora-tutora destas três modalidades me permite fazer esta afirmação.

 

Todo o apoio social é desejável como forma de promover o trabalho de desenvolvimento do conhecimento e da aprendizagem colaborativa em EAD; pois é através de uma acomodação na  ambientação coletiva que ocorre a comunicação. É isto que estimula o aluno online permanentemente. É a expressão de experiências pessoais, profissionais, cognitivas, emocionais que incentiva a confiança e a construção de um ambiente virtual receptivo e criativo.

 

É claro que toda tecnologia educacional  possui sempre o objetivo de utilizar  qualquer  ferramenta  que se encaixe  no currículo do curso de EAD e de forma pedagógica, para  que apoie a aprendizagem e atenda os objetivos do curso.  Mas sempre é preciso ressaltar,  que  antes de se implementar a tecnologia educacional em um ambiente de aprendizagem, necessário será realizar  a análise das necessidades dos alunos . O primeiro passo para isto  é fazer perguntas como: ” Qual é o problema educacional que estamos tentando resolver ?”,   “O método que será aplicado suporta o problema?”,  “Qual é a ferramenta que irá funcionar melhor para o aplicativo que funciona dentro do contexto de aprendizagem?”,  “O quanto utilizaremos de ferramentas assíncronas e de ferramentas síncronas?”,  “Como e quando serão utilizadas?”,  “Quais objetivos elas atenderão?” “Nossos tutores estão preparados para esta demanda?”

 

As  respostas  a estas questões  norteiam o processo do design de aprendizagem. Daí os próximos passos devem direcionar o desenvolvimento das estratégias voltadas à aprendizagem pautadas nos tipos de comunicação a serem utilizados para atender aos objetivos idealmente pensados. Nunca esquecer que o meio de comunicação síncrona deve ser reservado para as trocas que suportam um objetivo claro ou outra qualquer função relacionada com a aprendizagem que não pode ser realizada de maneira mais eficiente através de métodos assíncronos.

 

A “fala” de maneira síncrona gera um intenso “rapport” e de maneira  imediata, como também oportuniza diálogo entre as partes em tempo real para que  as questões sejam trabalhadas ali, naquela hora, naquele momento. Rapport é um conceito da Psicologia que significa uma técnica usada por nós psicólogos para criar uma ligação de sintonia e empatia com outra pessoa. Esta palavra tem origem no termo em francês “rapporter” que significa “trazer de volta”. O rapport ocorre quando existe uma sensação de sincronização entre duas ou mais pessoas, porque elas se relacionam de forma agradável.

 

A “fala” de maneira assíncrona, ou seja, a “fala” gravada gera outro tipo de benefício,  como a possibilidade dos  estudantes  decidirem  quando, onde e com que freqüência escutam;  e este será um elemento de escolha pessoal que promove a liberdade e a  autonomia do aluno em relação ao “seu” tempo de vida pessoal.

 

A instituição de ensino sempre  é a responsável pelo fornecimento de desenvolvimento profissional para professores e tutores,  e deve trabalhar com designers do curso de EAD assim como com os monitores da área tecnológica;  para construir cursos  voltados  à  prática do estudante com as mais diversas  ferramentas tecnológicas, tanto síncronas como assíncronas,  como também disponibilizar recursos permanentes que apoiem os alunos e  professores-tutores diante de quaisquer  questões tecnológicas.

 

Mini Glossário:

Comunicação Síncrona:  É aquela comunicação que permite a comunicação entre as pessoas em tempo real, ou seja, o emissor envia uma mensagem para o receptor e este a recebe quase que instantaneamente, como numa conversa por telefone. São exemplos deste tipo de comunicação em EAD:   o chat, a webconferência, o skipe, o helpdesk, portanto o tempo real na educação a distância é possível!

Comunicação Assíncrona:  É a comunicação que dispensa a participação simultânea das pessoas, ou seja, o emissor envia uma mensagem ao receptor, o qual poderá ler e responder esta mensagem em outro momento. São exemplos deste tipo de comunicação destinadas à EAD:  o e-mail, as videoaulas/vídeos que promovem discussões em timelines, o fórum de discussão, o “fale com o professor” e qualquer  lista de discussão.

 

2 comentários em “Tempo Real na Educação a Distância

  1. Olá profa Lilian gosto muito de ler os seus posts e eles vêm sempre ao encontro daquilo que eu penso e faço como professora em EaD. Neste caso específico da utilização das ferramentas síncronas, gostaria de saber se a senhora teria algumas referências bibligráficas para me repassar, pois este é o meu objeto de estudo no doutorado.

    Desde já, agradeço a sua atenção
    Dhilma

    • Olá Dhilma,

      Eu desconheço alguma bibliografia que fale pontualmente e unicamente sobre a comunicação síncrona em EAD. Muitos autores falam de maneira geral sobre as ferramentas comunicacionais e só.

      O que escreví é sobre a minha experiência como professora-tutora em EAD por 15 anos. Geralmente o que escrevo é à partir do que vivo como professora-tutora. Sugiro que para o seu doutorado faça entrevistas com tutores experientes e daí você terá um rico material para a sua tese. Vale mais do que apenas um autor específico que fale de maneira generalizada sobre a “comunicação” nos AVAs.
      Perceba também que valorizo todas as formas de comunicação em EAD, mas neste post específico ressalto o poder da “comunicação síncrona” em ambientes de aprendizagem “assíncronos”.

      Um grande abraço!

      Liliam Silva
      Blog educação-a-distância.com

Comentários estão bloqueados.